Permanentemente recebemos solicitações do mundo externo e, eventualmente, podemos nos voltar para essas demandas com tanta intensidade que deixamos de cuidar de nós mesmos. Atualmente a psicologia é um recurso que pode nos ajudar a retomarmos o controle sobre nosso caminho (e por que não dizer, nosso “destino”). Como disse Herman Hesse “a vida é um caminho em direção a si mesmo” e, se você está buscando ampliar o seu “eu”, e retomar as rédeas da condução do seu caminho, oferecemos:

  • Psicoterapia Individual
  • Psicoterapia de Casal
  • Psicoterapia da Relação Familiar
  • Orientação de Pais
  • Tratamento de disfunções sexuais de origem psíquicas
  • Atendimento Emergencial (Crises Agudas)

“POR QUÊ VINCULUM”? Não é exagero dizer que cada pessoa se define pelos vínculos que estabelece com coisas e pessoas. Nos relacionamos o tempo todo mesmo que não troquemos uma só palavra com alguém. A busca de um vínculo mais intenso, nos leva a uma relação afetivo-sexual que, desejamos, seja amorosa. Nem sempre nossas relações são satisfatórias e isso acontece não só em função de “com quem” nos relacionamos e sim “como” nos relacionamos, isto é, a qualidade de nossos vínculos, a consistência, nutriência, “força”. A qualidade com que nos relacionamos definirá então como será nossa expressão no mundo externo: nossa realização, o que seremos capazes de construir, produzir, fazer acontecer. Podemos tomar consciência, em algum momento, que não estamos alcançando os resultados que gostaríamos, sem saber bem o porquê. Talvez seja esse o momento de fazer mudanças e podemos buscar, para isso, a psicoterapia individual, da família ou de casal. O que normalmente chamamos de Terapia de Casal, pode abranger diferentes procedimentos como:

 
 

  • Orientação e Aconselhamento: um procedimento rápido (4 ou 5 sessões) diante de questões específicas que podem estar dificultando o relacionamento.
  • Terapia Focal: um procedimento de curto prazo (2 a 4 meses – veja os Depoimentos ) que visa restabelecer um relacionamento abalado por uma crise aguda. Diante de crise aguda pode ser necessário:
    • mais de uma sessão por semana (há redução do valor da sessão)
    • sessões em separado (por curto período, até que o diálogo produtivo seja restabelecido)
    • sessões com dois psicoterapeutas (masculino e feminino – com valor adicional no custo da sessão)
  • Psicoterapia da Relação: O processo psicoterapêutico padrão de médio/longo prazos (mínimo 6 meses), utilizado principalmente em relações desgastadas seja por processos de longo prazo (deterioração) ou alterações significativas não incorporadas por ambos os cônjuges (filhos, vida profissional e outras mudanças significativas.

Você precisa de Terapia de Casal (ou Individual?)

A terapia de casais tem o foco na relação, mas obviamente tangencia inúmeras vezes as questões individuais. É comum a dúvida: Casal ou Individual. Vamos considerar inicialmente a questão “precisar”: Assim como a psicoterapia individual, a terapia de casal é uma escolha e um privilégio de pessoas capazes de perceber que é possível agir diferente daquela maneira pouco produtiva ou, ao menos ineficaz, que podemos ter incorporado durante nossa formação. Para que isso ocorra é preciso que haja a sensibilidade de perceber que nem tudo é preto ou branco ou “pão, pão – queijo, queijo” e,
naturalmente disponibilidade financeira já que a psicoterapia é, infelizmente, um procedimento caro para a maioria da população.
Mas… você “precisa” de terapia de casal? Essa questão não pode ser tratada em um pequeno texto; vamos considerar se você será beneficiada(o) com a terapia de casal ou se será mais produtiva a terapia individual.
Alguns indicadores de que você se beneficiará da psicoterapia são óbvios e outros nem tanto:

1 – O relacionamento do casal está ruim.

Certamente você se beneficiará da terapia de casal, mas isso não indica que o problema está restrito ao relacionamento.


3 – Você tem muitas queixas do seu par e “sabe” que é ele que precisa mudar.

É provável que você tenha razão na maioria das queixas, mas pode surpreender-se ao descobrir o quanto você é parte das atitudes que você condena. A terapia de casal pode contribuir muito.


5 – Você “estoura” e depois se arrepende.

Talvez a psicoterapia individual possa oferecer resultados mais rápidos inicialmente. Questões individuais afloram.


7 – Você e seu par “estouram” e ambos se arrependem depois.

A psicoterapia de casal é importante nesses casos. Esse é um jogo perigoso e frequentemente progressivo!


9 – Você se sente traída(o), injustiçada(o). Dá mais do que recebe.

A terapia de casal é o procedimento mais indicado inicialmente, por permitir o exercício da expressão dos sentimentos.


11 – Vocês “nunca” brigam… mas não há mais intimidade.

Também uma questão típica que frequentemente indica a psicoterapia de casal. Comumente é chamada de “desgaste” da relação.


13 – Você (o homem, mais frequentemente) tem motivos racionais para separar-se e pensa, por exemplo: “eles estariam melhor sem mim”.

A terapia individual (breve) talvez seja a melhor indicação desde que a separação não esteja ainda em pauta. A terapia de casal será necessária na sequência.


15 – Além do problema no relacionamento há outros sintomas (depressão, ansiedade, pânico, taquicardia, hipertensão, TPM intensificada, gastrite e outras somatizações.

Nos casos de problemas específicos diagnosticados, somatizações diversas, gostemos ou não, é recomendado iniciar pela psicoterapia individual. Mesmo que a origem esteja no relacionamento, a questão tomou tal vulto que a prioridade passou a ser o indivíduo e não a relação.


2 – A maioria dos seus relacionamentos estão ruins (e são poucos, superficiais, etc.).

A terapia de casais pode ajudá-la(o), mas é provável que a terapia individual inicial a(o) ajude em boa parte dos problemas e, depois, a psicoterapia conjugal amplie os resultados especificamente no relacionamento do casal.


4 – Você não aguenta alguma atitude do seu par e “estoura”.

Isto é muito comum e também difícil de ser aceito: certamente seu par pode estar agindo erroneamente e você certamente está agindo erroneamente também! É o caso mais típico onde os resultados da terapia de casal são excelentes.


6 – Você “estoura” e não se arrepende. Seu par sugere terapia de casal.

As possibilidades são muitas, porém o mais frequente é que você se beneficiará mais de uma terapia individual inicialmente, e em seguida a psicoterapia de casal. A terapia de casal nesses casos pode representar a “porta de entrada’ para o tratamento individual.


8 – Traição.

A terapia de casal pode ser fundamental inicialmente e provavelmente pode gerar, na sequencia, a terapia individual.


10 – O relacionamento está “sem graça” e parece que você se “cansou” dele.

É provável que a terapia individual seja recomendável inicialmente. Pode haver problemas no relacionamento que sejam superados na terapia de casal, porém a análise individual tende a solucionar uma grande parte desses casos.


12 – Vocês “quase nunca” brigam mas com o mundo externo há uma grande irritação e explosividade.

Tende a ocorrer também, frequentemente, somatizações como, por exemplo, gastrite. É sim uma questão individual, mas que pode alcançar os resultados mais rápidos se iniciar com a terapia do relacionamento.


14 – Você trata melhor as pessoas com as quais tem relações apenas formais ou superficiais (colegas).

A psicoterapia individual (breve) pode oferecer os melhores resultados, porém é preciso considerar que nem sempre há consciência de que isso está ocorrendo e, por isso a tendência é que o casal busque a terapia de casais.


Entre em Contato

Agende uma consulta para obter mais informações ou o diagnóstico inicial, através dos telefones (11) 9 9425 5816 e (11) 4564 6871 (rec.) ou do e-mail contato@vínculum.com.br ou do formulário abaixo:
 
 

captcha

Laços e Nós

MiniaturaLivroLivro: “Laços e Nós” – A Construção de um Relacionamento de Alta Qualidade

É o meu 10º livro, lançado em 2015. Como diz o título, ele fala de nós, de nossas emoções, valores e projetos e também dos laços que vamos estabelecendo ao longo da vida e, eventualmente, com alguns nós. O subtítulo confessa que o objetivo é “construir um relacionamento de qualidade elevada”.

Veja o que o jornal “O Estado de Minas” publicou sobre o livro clicando aqui.
Veja os comentários do Blog “Tempo de Mulher”, de Ana Paula Padrão, sobre este livro
Adquira nas livrarias ou pela internet. Caso prefira clique aqui e acesse a loja virtual do editor.